Amantes do Trance

1- Antes de mais, há quantos anos és Dj? E sempre no género de psytrance?

R: Ola e obrigado pelo convite. Já sou Dj desde 2010. E sim sempre na vertente do PsyTrance.

2- Quando o mundo do psytrance aparece nas nossas vidas, generalizando, arrebata-nos e vai crescendo em nós. Recordas-te de como esta música/mundo chegou à tua vida? E quantos anos tinhas?

R: Ora bem eu lembro-me que foi nos finais do ano 1998 que tive o meu primeiro contacto com a scene do Trance. Na altura faziam festas na Serra de Sintra nos Fornos da Cal e na Casinha. Fui no fundo influenciado por amigos, e ate hoje nunca mais larguei este movimento. E agradeço por isso!

3- Recordas-te em que festa te estreaste como Dj? Dirias que essa foi a atuação que mais te marcou?

R: Recordo que foi numa festa perto da Moita e foi feita pela Organização Reunion. A festa que mais me marcou foi ter tocado pela primeira vez no Transition Festival em Espanha.

4- De contactos como artistas, produtoras, organizadores e outros, existem sempre alguns que tornam importante amigos ou mentores, gostarias de referir alguns?

R: Sim. Ao longo destes anos, e desde que comecei a entrar mais dentro do movimento, tenho conhecido pessoas maravilhosas. Desde a Artistas bem como pessoal de Staff e Organizadores. O momento mais importante da minha vida foi quando surgiu o convite para tocar na maior produtora de eventos em Portugal a Crystal Matrix Records. Com o apoio de amigos que me rodeiam, da minha familia, com o apoio do publico em geral, nada disto seria possível. Este ano de 2020 fundei mais o meu grande amigo e mentor Fred Suria a editora discográfica Harkali Records.

5- Quando estás em palco, quais são as emoções e pensamentos que mais tens presentes?

R: É maravilhoso. Adoro sentir a energia do publico. Só penso em desfrutar o momento, e trazer as pessoas boas recordações com a mensagem que quero transmitir.

6- Gostarias de colaborar com algum artista em especial?

R: Num futuro próximo sim. Apesar de ainda estar muito fresco na produção e ter de aprender muito mais.

7- Quais são os seus três álbuns favoritos de todos os tempos?

R:
Tenho alguns, uns mais OldSchool e outros mais New:
Suria - Darkside of the Sun
VA – No Time No Space – Parvati Records
Archaic - Wolf And Ravens
E mais e mais… Risos

8- Tens algum próximo passo pensado para o teu projeto? O que se segue?

R: Tenho novidades em breve. Acompanhem as minhas paginas oficiais para estarem actualizados com o que esta para vir.

9- Em algum momento descobriste que gostavas de compor música, quando foi? E sempre no género de psytrance?

R: Penso que foi no ano 2013 que comecei por influencia de amigos a mexer no Cubase 5, passando pelo Ableton e ficando por agora no Studio One, sempre no género de PsyTrance.

10- Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Modem Festival e Boom Festival.

11- Nos últimos anos o psy trance tem vindo a crescer em Portugal, o número de festas/festivais e novos artistas aumentam a "cada dia". Na tua visão, esta nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer mais pelo crescimento da cena?

R: No meu ponto de vista em relação ao ritmo que isto tomou em haver mais artistas, foi influenciado pela revolução da tecnologia na musica Electrónica.
Eu sempre fui a favor de as organizadoras irem ao mercado em busca de novos talentos. Existe por ai tanta boa musica que não chega aos grandes palcos infelizmente.
Em relação ao numero de festas a aumentar é normalíssimo e acho que sim esta no ritmo certo.

12- Obrigado por te juntares a nós nesta entrevista, queres deixar algumas palavras à comunidade psytrance portuguesa antes de terminarmos?

R: Obrigado eu mais uma vez pelo convite. Um até já, abraços e beijinhos.

PLUR & Namaste

Soaron

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *