Amantes do Trance

1- Antes de mais, há quantos anos és DJ? E sempre no género de psytrance?

R: Em primeiro lugar quero agradecer o convite para partilhar um pouco mais da minha historia. Esta aventura como DJ começou em 2000 e como produtor em 2002 e sim sempre dentro do psytrance.

2- Quando o mundo do psytrance aparece nas nossas vidas, generalizando, arrebata-nos e vai crescendo em nós. Recordas-te de como esta música/mundo chegou à tua vida? E quantos anos tinhas?

R: Conheci o psytrance em 1997 aos 20 anos de idade através de amigos que já frequentavam festas a alguns anos.

3- Recordas-te em que festa te estreaste como DJ? Dirias que essa foi a atuação que mais te marcou, ou qual?

R: A minha primeira experiencia como DJ foi em 2000 numa festa privada em casa de uns amigos mas a festa que mais me marcou foi em 2005 na India onde estive quase 2 meses.

4- No que toca à produção, dedicas-te todos os dias a fazer música? Quanto tempo, geralmente, demoras a criar um som/track completo?

R: Todos os dias tenho que mexer um pouco nas musicas nem que seja só tirar notas do que tiver feito no dia anterior para avaliar o que tenho a melhorar nas mesmas. Tem dias que chego a estar 10 horas a produzir depende da inspiração tempo que demoro a produzir uma track também depende pode ser uma semana ou um ano tudo depende do seu destino final.

5- Os artistas do psytrance possuem influências de outros gêneros musicais. O que te inspira fora do universo eletrónico? Que outras formas de arte fazem parte do teu processo criativo?

R: Eu sempre fui muito ligado ao Metal género no qual dei os primeiros passos na musica embora já tivesse tido aulas de piano e guitarra quando era pequeno.
Basicamente oiço um pouco de tudo desde Clássica a Industrial.
Fora do universo eletrónico adoro filmes, series e documentários. Ajudam imenso a ter ideias para novas tracks.

6- De contactos com artistas, produtoras, organizadores e outros, existem sempre alguns que se tornam importantes, amigos ou mentores, gostarias de referir alguns?

R: Não, porque são todos muito importantes.

7- Quando estás em palco, quais são as emoções e pensamentos que mais tens presentes?

R: Adoro ver o publico a viajar ao som das minhas tracks e isso não tem preço é uma emoção muito gratificante e adoro a troca de energia com o publico.

8- Gostarias de colaborar com algum artista em especial? Porquê?

R: Sim claro, acho que qualquer produtor tem o sonho de trabalhar com os seus grandes ídolos. Electric Universe e Space Tribe eram os artistas que escolhia pela viagem e energia que apresentam em todas as suas Tracks.

9- Tens algum próximo passo pensado para o teu projeto? O que se segue?

R: Sim, de momento estou a trabalhar num novo Álbum que em principio estará pronto lá para o final deste ano.

10- Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Adorava tocar no Egipto.

11 - Nos últimos anos o psytrance tem vindo a crescer em Portugal, o número de festas/festivais e novos artistas aumentam a "cada dia". Na tua visão, esta nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer mais pelo crescimento da cena?

R: Fico muito feliz pelo nosso pais ter excelentes produtores e djs e a competição é bastante saudável, acho que estamos no bom caminho conseguimos colocar o nosso pais na cena mundial e sermos respeitados.

12- Obrigado por te juntares a nos nesta entrevista, queres deixar algumas palavras à comunidade psytrance portuguesa antes de terminarmos?

R:  Obrigado a todos pelo apoio ao longo desta aventura.
Tenham calma e muita paciência nestes tempos difíceis de pandemia, tudo ira voltar ao normal até lá protejam-se e tenham cuidado.
Em breve estaremos todos juntos!
Sejam felizes

Sérgio Gonçalves Aka Stuntproject

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *