Amantes do Trance

1- Como a música chegou à tua vida?

R: A música chegou a minha vida, desde muito jovem pois na minha família havia sempre música a tocar em casa, mas principalmente o meu avô, tinha uma grande colecção de discos e cassetes e sempre o seu rádio ligado .

2- Como surgiu o projecto Heavenoise?

R: O projecto Heavenoise surgiu em 2013, fruto da minha necessidade de dispersar o meu gosto musical principalmente por Goa que na altura estava um pouco adormecido.

3- Qual foi a festa em que te estreaste como DJ ?

R: A minha Primeira festa foi em 2013 em Castelo Branco, na Praia do Muro , Chamava se FREEKUNDALINI .

4- Como foi o início da tua carreira?

R: O inicio da minha jornada musical foi espectacular, sei que tive imensos amigos a apoiarem me e darem me força para continuar com o meu projecto, consegui concorrer ao Freedom Talent Contest em 2013 no qual ganhei na vertente DJ , e foi logo um impulso muito bom para começar. Pouco tempo depois fui convidada pela Crystal Matrix para fazer parte definitiva da família.

5- Quem são as tuas influências na música?

R: As nossas influências estão em constante mutação, diria que no inicio era maioritariamente influenciada por old school goa , Astral Projection , Dimension5, Juno Reactor, Cosmosis, Hoje em dia é um pouco de tudo dentro do Género Psicadélico, Ajja, Kabayun, Arjuna.




6- Quando foi o teu primeiro contacto com o Psytrance?

R: O meu primeiro contacto foi em 2006 um CD que um amigo me deu para ouvir com Michele Adams e Infected Mushroom ,quando cheguei a casa ouviu umas 10 vezes e Apaixonei me tinha 15 anos, pouco tempo depois fui a uma festa o que ampliou ainda mais a minha paixão pela scene.

7- Como e quando decididiste sair das pistas para o palco?

R: Como ouvinte sentia necessidade de mais variedade de estilos musicais em 2012 criei o meu projecto de Goa.

8- O que mantém vivo o teu amor pela música electrónica? O que tu mais gostas nas festas/festivais?

R: O que mantém vivo este meu Amor são as pessoas, o Público , o que se recebe , o que se dá não existe preço para essa troca de emoções que existe quando fazemos algo que realmente gostamos e de poder proporcionar ás pessoas aquele momento de pura libertação e viagem através da música é uma sensação de União com tudo o que mais de sagrado existe, é um sentimento inexplicável.

9- Já aconteceu alguma situação engraçada enquanto tocavas?

R: Sim há muitas engraçadas, desde os bailarinos gratuitos que querem dançar em cima da mesa, aos discos pedidos é sempre uma aventura.

10- Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Adorava um dia poder tocar no BRASIL, mas como o nosso maior festival de Música Alternativa é em Portugal, BOOM FESTIVAL sem dúvida que é dos meus maiores sonhos.

11- Nos últimos anos o psy trance tem vindo a crescer em Portugal o número de festivais e novos artistas aumentam a cada dia. Na tua visão, esta nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer mais pelo crescimento da cena?

R: Acho que na minha perspectiva a scene podia estar mais desenvolvida em termos de conforto do público, as necessidades básicas das pessoas deviam ser sempre asseguradas, haver mais preocupação pelo bem estar das pessoas SEMPRE e pela sustentabilidade do próprio ambiente que as festas automaticamente tinham mais qualidade. E também apostar mais na diversidade musical durante o dia bem como a noite não ser mais de 12 horas do mesmo estilo, mas penso que estamos no bom caminho.

12- Qual foi a actuação que mais te marcou?

R: Definitivamente foi a do Freedom 2013 , por ser o meu primeiro festival e tocar para tantos amigos meus e ironicamente ter conhecido uma das pessoas mais importantes da minha vida que trabalhava como stage manager, o pai do meu filho e companheiro André Penalva aka MIMIC VAT.

13- Sobre a tua atuação no SeedsOf Freedom, excedeu as tuas expectativas?

R: Claro que sim! Para uma primeira edição de festival foi um privilegio poder tocar na noite de sábado, estava um ambiente fantástico, e a localização do festival foi para mim um ponto muito forte.

14- Vamos finalizar com uma mensagem para os teus fãs/seguidores.

R: Agradeço a quem acompanha a minha jornada musical desde 2013,a quem me encontrou depois e cresce simultaneamente comigo, a todas as pessoas que já foram felizes naquele momento, são a energia que me deu e dá força e alimenta o meu sonho de dispersar a minha mensagem através da musica, GRATIDÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *