Amantes do Trance

1- Como a música chegou à tua vida?

R: A música na verdade está presente na vida de qualquer pessoa e em todo o lado comigo não foi diferente , sempre tive uma paixão incrível por música , sempre ouvi rock quando era miúdo e hip hop até que aos 11 anos através da minha irmã conheci aquela que sabia que era a que me completava o trance .

2- Como surgiu o projecto Magic Kid?

R: O projecto Magic Kid surgiu do nada , era um miúdo e naquele tempo nós éramos um grupo enorme que ia a bastantes festas , eu sempre os acompanhei e havia 4 dj´s no grupo que foi o que me despertou o interesse de mixing , sendo que aprendi no atomix que já nem se usa . Na altura o representante da Magic Vibes era conhecido e ofereceu me a oportunidade duma primeira actuação que me encheu a alma porque seria um começo e na verdade não tinha um nome , não saberia que nome daria ao projecto e foi então que surgiu o meu aniversário e o grupo me ofereceu uma camisola num caixote cheio de papelinhos e nas costas teria o nome Magic Kid , foi escolhido por todos e na verdade a camisola foi pintada por todos do grupo daí o sentimento enorme pelo nome.




3- Qual foi a festa em que te estreaste como DJ ?

R: A minha estreia como Dj foi no miro , um espaço ao ar livre com uma casa abandonada que até servia de bar perto das livrarias do Mondego.

4- Como foi o início da tua carreira?

R: O inicio da minha carreira penso que já expliquei nas perguntas anteriores , foi duma paixão incrível pela música que me levou a lutar por um sonho , todos os dias ouvia música diferente e nova e procurei saber o máximo possível sobre cada uma delas , o albúm , a duração da música os bpm´s, o ano , o artista , apenas queria saber o máximo possível e acompanhar cada segundo de cada uma e entender cada história o que me levou a amar ainda mais o que hoje faço

5- Quem são as tuas influências na música?

R: Influências ? Tenho várias mas o primeiro grande live que vi foi o Manel ( D.Maniac ) era miúdo , tinha apenas 11 anos e lembro me perfeitamente daquele dia , a sua presença em palco fascinou-me e a qualidade musical era enorme , lembro me de estar no meio do dancefloor e tocar o som dum telemóvel nem me parecia ser da musica , quando olhei lá estava ele a partir a louça toda . Psilocybe project foi outra da minhas enormes influência , cada música que ouvia me apaixonava pela melodia vibrante e pela energia de cada uma delas , vim a conhecer o Ricardo ainda bastante novo também e sempre foi um artista com o qual convivi e sempre que precisava ou tinha dúvidas me ajudou . O Patrick (Alienn) foi um artista que me fascinou e surpreendeu pela forma como trabalha e pela sua energia e capacidade de adaptação às mundanças das modas no trance mas não fugindo do seu estilo contagiante e energético , para além disso apesar de ser um dos melhores neste momento nunca perdeu a sua essência e humildade , neste momento estes 3 artistas estão a trabalhar duma forma impressionante . Myrah ,Atary , Tryambaka , Sesto Sento , Bizarre Contact , Freaked Frequency , Electro Sun , Vibe Tribe , Phanatic , Parasense , Menog, Sun Project , olivetreedance, Azax Syndrom, Dirty Motion , Frozen ghost e muitos outros , as minhas influências vêm muito de música produzida entre os anos 2000 até 2008.

6- Quando foi o teu primeiro contacto com o Psytrance?

R: Bom , nesta questão não me irei alongar muito porque como disse tudo começou aos meus 11 anos de idade à 12 anos atrás através da minha irmã.

7- Como e quando decididiste sair das pistas para o palco?

R: Não foi difícil , sinceramente nunca larguei as pistas pois normalmente fico na pista até actuar , actuo e volto à pista , gosto da interação e de conhecer cada pessoa , a sua história a sua energia e o seu conhecimento afinal de contas somos união e somos partilha e num espaço de 2 meses depois de frequentar festas passei logo para o papel de artista e depois organizador de eventos.

8- O que mantém vivo o teu amor pela música electrónica? O que tu mais gostas nas festas/festivais?

R:  Ui , pergunta complicada porque embora tenha o trance ficado mais comercial que antigamente amo cada sensação , tive o prazer de conhecer pessoas fantásticas e muitos dos meus valores foram - me cultivados em festas , o meu lema de vida é e sempre foi desde que conheci o psytrance o PLUR ( Paz, amor ,união e respeito ) , em qualquer festa ou sitio que vá ainda hoje não mando lixo para o chão , por exemplo e foram estas pequeninas grande coisas que sempre me fascinaram bem como as relações com as pessoas , a forma como sempre fui acolhido em quase todo o lado e sem dúvida que como artista tento trespassar este amor por este mundo , por viver porque penso que um artista também é isso , uma inspiração para todos os que entendem e conseguem ver a energia que trespassamos através de musica , existem músicas que nos lembram momentos , emoções , sentimentos e é isso que pretendo , amo a química artista público e amo a expressão de cada um e a forma de dançar de cada um sem regras e sem tabus , somos liberdade e isso foi o que sempre me manteve neste Mundo que sem dúvida para quem o respeita , sente e entende é lindo e por muito que escreva nunca conseguirei descreve-lo da forma que merece.

9- Já aconteceu alguma situação engraçada enquanto tocavas?

R: Situações engraçadas ?
ahah Tantas , acho que não existem artistas que não tenham tido , tive público a quem dei uns phones que não estavam ligados e ficaram do meu lado a actuar , respeitando o meu trabalho claro , já fui beliscado numa actuação em que o rapaz me perguntou se eu era mesmo real entre muitas outras situações , todos sabemos que brincadeiras e imaginação não falta a um raver.

10- Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Para mim não existe um lugar em concreto penso que o mais importante é a vibe do momento e a energia do sitio mas amava poder um dia actuar na Índia ou na Africa do sul.

11- Nos últimos anos o psy trance tem vindo a crescer em Portugal o número de festivais e novos artistas aumentam a cada dia. Na tua visão, esta nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer mais pelo crescimento da cena?

R: Tenho uma opinião se calhar um pouco diferente neste aspecto , penso que poderíamos estar a crescer mas de forma a crescer realmente , isto é , o trance é uma representação duma comunidade logo penso que poderíamos ter mais brio , penso que em muitos eventos falta aquela barraquinha do chill out , aquelas barraquinhas de comida e adereços feitos por cada um no entanto Portugal invadiu mercado e conquistou muita coisa o Boom por exemplo ganhou o prémio de festival mais ecológico e somos isso mesmo seres incríveis que sabem a sua mãe maior é a Natureza então vamos preservá-la e ajudá-la como ela nos ajuda a nós ,embora ache que poderia investir mais nos portugueses em termos de público e de artistas afinal de contas é feito cá, penso que poderíamos estar a fazer mais pelo espaço que nos acolhe mas penso que a nível musical estamos a entrar muito bem no mercado.

12- Qual foi a actuação que mais te marcou?

R: Todas elas são marcantes na verdade , cada uma tem momentos ou pessoas que nos marcam , mas se me perguntaram qual me marcou foi um festival no areão em que quando comecei a actuar por volta das 10h da manhã o dancefloor estava com cerca de 15 pessoas e no final estavam umas 300, nem sei de onde apareceu tanta gente e no final quando acabei quase todos os presentes aplaudiram e me agradeceram mas o que mais me comoveu foi um Rapaz de cadeira de rodas que me chamou e me agradeceu dando-me um abraço e dizendo " Espero que nunca deixes de viver com essa vontade e nunca desistas porque eu também não desisti e estou aqui , nota-se que amas o que fazes e para teres noção do teu valor eu estava para me ir deitar na carrinha que está lá ao fundo e com a tua música fizeste -me sair da carrinha e vir na minha cadeira de rodas até aqui para te poder ver e agradecer pelo momento " , lembro-me destas palavras como se fossem ontem mas já foi à uns anos e são estes momentos que nos fazem querer ser melhores e continuar.

13- Vamos finalizar com uma mensagem para os teus fãs/seguidores.

R: Para todos os meus fãs espero que continuem a dançar e a viver cada momento pois só estamos cá de passagem mas que nunca se esqueçam das nossas origens e valores , vamos evoluir juntos e semear a nossa cultura que por ser diferente tem uma beleza única e que a resposta é sempre o amor em tudo e em todas as situações pois todos erramos e ninguém é perfeito , podemos não ter muito mas o pouco que temos é o que o universo nos dá para sermos felizes , a felicidade não se encontra pratica-se e pratica-se todos os dias com pequenos gestos e dando valor a todas as pequeninas coisas do dia a dia , obrigado a todos os que me seguem e apoiam e obrigado a cada organização que me contrata e valoriza o meu trabalho , sem vocês não seria possível tornar um sonho real , agora que venha a produção nos próximos anos. Namasté

Foto de Fábio Simões Photography

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *