Amantes do Trance

1 - Como a música chegou à tua vida?

R: A música chegou a minha vida desde muito cedo: através de amigos de escola que tinham bandas e amigos que eram produtores de techno. No qual nos juntávamos todos a ensaiar e a fazer vs de DJs pela noite fora.

 

2- Qual foi a festa em que te estreaste como DJ ?

R: Para ser sincero, não me recordo bem já foi a algum tempo mas tenho ideia, que a primeira vez que subi a um palco foi numa festa em Sintra na casinha isso tinha 14 anos.

 

3 - Como foi o início da tua carreira?

R: Ao início, não se podia chamar propriamente uma carreira. Alias ainda hoje não é uma carreira porque infelizmente ainda não consigo viver da música, mas iniciei esta caminhada desde muito cedo na altura corria-se de festa em festa com a mochila às costas sempre com a pasta de cd’s. Acabava sempre por pedir aos organizadores para me deixarem por música, ficava horas na conversa com eles até os vencer pelo cansaço até que acabavam por ceder e acabava sempre por fechar a festa, mas isto a uns dezassete anos atrás! Onde o sentido de festa e de um DJ é diferente de hoje em dia.

4 - Como começaste a produzir música electrónica?

R: Comecei a produzir música electrónica quando achei que o som estava a ficar realmente diferente e cada vez mais sentia dificuldades para arranjar boa música dentro do meu estilo, também como é lógico como qualquer DJ que queira fazer da música uma carreira e ser um DJ completo ao meu ver tem que ter as suas próprias músicas e comecei a investir algum do meu tempo na produção. Lentamente, aprendendo com quem sabe e muitas vezes sozinho até que comecei a receber feedback positivo acerca da minha produção que também só ficou mais séria neste último ano. Até lá apenas era DJ e não intitulava como produtor, até porque acho que não tinha a qualidade de produção necessária, mas é como digo com a quantidade de DJ que nós temos em Portugal para te destacares convém seres DJ produtor tens som teu é um pouco de ti que está nessas músicas algo que certamente ninguém tem sendo um som teu.

 




5- De onde tiras inspiração para criar novas músicas?

R: Bem essa pergunta leva-me a tanto sítio ! Quem me conhece sabe o porquê … eu não tenho nada em concreto que me dê inspiração tanto posso acordar e me inspirar a olhar para a caixa dos cereais, como posso estar a fechar os olhos para ir dormir e ter uma ideia que tenho logo que ir pô-la  em prática ...Foi uma pessoa que vive muito de imaginação, muitas vezes não crio a música primeiro crio uma peça de teatro, um filme, um sonho algo na minha cabeça depois aí sim a musica aparece por si nem eu próprio sei como acontece para te ser sincero.

 

6- Como surgiu  o projecto Sykho?

R: Bem o projecto Sykho surgiu há 16 anos atrás, nesse contexto na altura andava de festa em festa ainda ninguém me conhecia nem sequer sabia como era se era bom mau DJ. Então eu chegava as festas e pedia para por som passava horas naquilo a pedir pfv e pedia a um a outro e fazia tudo e mais alguma coisa para que me deixa sem por som, até que o pessoal começou engraçado com essa minha atitude e dizia que eu era Psycho então assim ficou Sykho tem a ver com a maneira louca que iniciei a por música.

 

7 - Quando foi o teu primeiro lançamento?

R: Olha o meu primeiro lançamento a sério foi a sensivelmente 5 meses uma projecto novo que tenho mais o meu mano Sandro (Blazing Noise) demos assim início ao projecto frontliners após o feedback bastante positivo do pessoal após ouvir a malha que lançamos ( 5 O’clock in Morning ) estamos a trabalhar para brevemente sair um EP , antes disso tenho um projecto mas nada ainda lançado, só agora começou a ter a dimensão que queria para ser lançado.

 

8- Os artistas do psy trance  possuem influências de outros gêneros musicais. O que te inspira fora do universo electrónico? Que outras formas de arte fazem parte do teu processo criativo?

R: Basicamente, depende do dia para te ser sincero não tenho nada em concreto. Eu no meu dia a dia, oiço tudo Rock, Rap, Reggae, Drum,Tecnho e tento tirar o máximo de proveito de todos os estilos musicais porque acho que realmente faz falta ter um pouco de tudo em ti , mas acabou por tirar mais ideias de filmes e sonhos ou experiências que tenha passado ou estou a passar e daí, que vem a minha música vem de dentro se estiver triste provavelmente vai sair algo "sad", se estiver contente algo mais alegre não é nada fixo. Depende de muita coisas e é isso que eu gosto produzir de tudo um pouco, mas nunca perder o que é teu que te identifica.

 

9 - Quem são as tuas influências na música?

R: Por incrível que pareca adoro a produção nacional  temos muitos bons produtores na Tuga adoro D_Maniac , Tryambaka, Blazing Noise, internacional gosto ,Talamasca, Eclipse e Goasia sem dúvida para mim os melhores do mundo, aqueles que me fazem realmente vibrar.

 

10 - Qual foi a actuação que mais te marcou?

R: Foram tantas cada uma de maneira diferente ,mas a mais recente foi o Warm Up do Freedom Festival pá toquei antes de dois ídolos meus , (Sick Adicion) e sinceramente não estava mesmo a espera de tanta gente aos saltos a gritar a curtir sentia nas pessoas que realmente estavam a curtir isso é brutal. E depois ter o feedback mega positivo em relação ao set que tinha feito, desde já agradecer as pessoas que me puseram lá a tocar não é preciso dizer nomes elas sabem quem são e que depositaram tamanha confiança em mim adorei.

 

11 - O que mantém vivo o teu amor pela música electrónica? O que tu mais gostas nas festas/festivais?

R: O que mantei vivo actualmente é a constante aprendizagem estamos num nível muito elevado temos que estar sempre em cima de tudo para não ficar para trás Portugal está cheio de talento eu gosto de tentar ser sempre o melhor em tudo posso não conseguir mas, tento isso mantém a minha chama acessa. Adoro tudo que envolve as festas, quando digo tudo e tudo mesmo mas sem dúvida o dance e o que me pucha estar ali em frente aquela imensa parede de colunas a sentir a essência da música de pés acentos no chão, mas sempre de cabeça no ar hehehehe isso que gosto ser livre para fazer o que me apetecer .

 

12 - Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Goa

 

13 - Quais são as novidades em relação a novos lançamentos?

R: Estou a trabalhar nisso com calma, as coisas vão indo aprendi a ser paciente nesse sentido. É muito difícil tu subires lá acima mas é tão fácil desceres cá para baixo ,nesse sentido em breve será lançado o meu EP  muito em breve.

 

14- Nos últimos anos o psy trance tem vindo a crescer em Portugal o número de festas/festivais e novos artistas aumentam a "cada dia". Na tua visão, está nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer  mais pelo crescimento da cena?

R: Sinceramente eu acho que está se a banalizar um pouco aquilo que é realmente o Psy Trance, não digo que não seja bom a nivel financeiro porque é realmente mas também a coisas que se estão a perder aos poucos aquele mística aquela sensação do desconhecido de algo mágico já se perdeu. Foi meramente te banalizada, muitas das pessoas não dão valor ao esforço a dedicação que as orgs tem para lhes proporcionar esse espetáculo há sempre algo para implicar : ou os cinzeiros ou os sacos do lixo ou a água ou o bar. Epa isso para mim é um efeito típico de quando o trance está a perder espírito, estamos entrar numa era mais comercial que é de todo o contrário da cena do Psy Trance ...mas isso por um lado também faz o nível estar tão elevado que acabamos por ter esse tipo de situação constantemente , em relação o que se podia fazer acho que devia haver mais oportunidades para DJs que não são conhecidos e querem mostrar o seu trabalho dar lhes oportunidade de tocar ver reação do público porque infelizmente, o que tenho visto tem me entristecido eu sempre digo isto um DJ não mete likes mete som ...acho que não preciso de dizer muito mais ...

 

15 - Define a tua música em três palavras.

R: Diferente, espontânea, agressiva

 

16- Vamos finalizar com uma mensagem para os teus seguidores.

R: Vou pedir a todos que sigam os meus projectos Sykho como o projecto de Frontliner, estejam atentos que em breve vem aí carga da grossa hahahhaa pá se acharem que algo que podia melhorar, mandem mensagem se acharem que algo podia ser diferente estou aberto a ouvir críticas construtivas e é isso que me faz querer ser melhor em tudo, é que se lembrem sempre por mais bom Dj que sejas nós não somos nada sem vocês que dançam e saltam a nossa frente isso sim são os verdadeiros ravers, que nos dão força para seguirem frente.

Abração a todos e novidades muito em breve meus ravers.

Facebook: LINK

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *