Amantes do Trance

1 - Como a música chegou à tua vida?

R: A música chegou desde pequeno, sempre tive interesse em música, aprendi guitarra em miúdo, sempre tive uma paixão pela música, sou fã de rock, metal, punk, hip-hop e outros estilos musicais.




Houve uma altura em que comecei a ganhar interesse pela música eletrônica a ouvir Prodigy, Kraftwerk, Fear Factory, entre outras bandas.

2- Qual foi a festa em que te estreaste como DJ?

R: A primeira festa que toquei hmmmm, isso agora não tenho a certeza, se não me engano deve ter sido numa das festas que o pessoal amigo organizava por Sintra, ou na Costa da Caparica, para ser sincero, não me lembro ja foi a uns bons anos.

3 - Como foi o início da tua carreira?

R: O meu início de carreira começou por brincadeira em casa de amigos, nunca tive cdj's ou technics meus foi aprendendo a mixar em casa de amigos, festa em Sintra, festa na Costa da Caparica e em festas no Algarve.

Eu era muito novo em comparação ao pessoal que tocava na altura, Pedro Miguel, Seph, Migas, Dj Pmac, Pena, o Diogo da Hyperflow, Miguel Ferro, Ramnah, Louis, Lama, Dj Psyshots( Francisco Narciso ), Wizard , DJ Cheve e a lista continuava se fosse citar os amigos que me deram força para começar a dedicar-me mais.

Até que um dia já tinha uns sítios por Lisboa, para poder fazer o que adoro: "Captain Kirk" onde ia muito com amigos, e claro, pouco tempo depois fiquei como residente no "Lisboa Bar" que ficava situado no Largo do Carmo. Depois foram surgindo muitas oportunidades como "Psy Club"," Club Kasino" (antigo "Alcantara Mar"), e claro, o pessoal com quem trabalhava no "Lisboa Bar"e que ainda hoje,tenho muito que lhes agradecer: o Jean; Vanda; Miguel Ferro e todos os amigos que faziam a casa.

Houve uma altura em que a moda eram os Mini Disc , dos quais tive vários e/ ou perdia ou se estragavam. Tenho pena de hoje em dia não os ter comigo, pois ofereçi-os a um amigo que na altura lhe tinham furtado toda a música.

4 - Como começaste a produzir música electrónica?

R: A Produção de música electrónica começou com um grande amigo meu e irmão de outra família, Ramnah Fernandes, pois estavamos sempre juntos , mesmo a tocar como dj's , éramos uma dupla muita engraçada que hoje em dia sinto falta.

Como tínhamos o mesmo gosto musical,começamos a criar música com o nome de "Sub_Conscious" e sempre que fazíamos algo, íamos testar no "Lisboa Bar ", era muito engraçado: passávamos noites e dias agarrados ao computador e ao Prophecy do Pedro Miguel que nos tinha emprestado. Na altura as pessoas que produziam música e que eu conhecia, trocávamos ideias e músicas, criar sons e tentar produzir musica dentro de um estilo que ficamos fãs na época do começo de 2000, Trance francês brincalhão com um gosto de techno e do qual ainda hoje é um estilo que procuro muito para tocar. Os meus projetos sempre foram feitos sem rótulos.

Lembro-me de uma coisa que me aconteceu quando começamos a dar a nossa música aos amigos, e alguém na altura comentou que ja as tinha ouvido no Brasil e Goa. Ficamos de boca aberta e a pensar como poderia ter acontecido, mas na altura não levamos nada a sério era uma brincadeira,como sempre dizíamos.

Houve uma festa na Costa da Caparica em que tocámos com "Miguel Ferro" e estava lá o" Emok". No final da festa o mesmo nos perguntou se queríamos editar a nossa música, e nós dissemos que não porque achávamos que não estava a altura de ser lançada por uma editora.

Em 2010 comecei a produzir de novo como "Dirtyfatnoise" (techno ) e mais tarde "Catz in a Box" ( PsyTrance )

5- De onde tiras inspiração para criar novas músicas?

R: A minha inspiração vem do que me rodeia: filmes, radio, sets de amigos, jogos e tudo o que me der uma ideia (uso e depois vejo o que sai).

6-Como surgiu o projeto Dj Marcelo?

R: Posso dizer que Dj Marcelo não é nenhum projeto pensado, simplesmente foi acontecendo com o tempo e ficou marcado com as noites do "Lisboa Bar".

7 - Quando foi o teu primeiro lançamento?

R: O meu primeiro lançamento foi pela" Woorpz Records", que é de um amigo dj e produtor. (DJ FIDO - UFO )

Pois já lhe tinha comentado que andava de volta de um projeto novo de Psytrance/Progressivo, com o nome de "Catz in a Box", e não sabia o que fazer com tanta música, então montei um album. Posso dizer que é raro poder tocar, tem temas que gosto, mas a maioria dessas músicas hoje em dia já as refiz quase todas.

8- Os artistas do psy trance possuem influências de outros gêneros musicais. O que te inspira fora do universo electrónico? Que outras formas de arte fazem parte do teu processo criativo?

R: O que me inspira para poder criar musica: .... hmmmmm, as vezes pode ser uma frase que ouvi num filme, um break numa música de hip hop, pode ser muita coisa.

Passo um bom tempo as voltas num loop a tentar fazer que seja viajante, melódico,e é tudo conforme o estado de espírito em que me encontro nesse momento criativo.

9 - Quem são as tuas influências na música?

R: A minha influência musical dentro trance do psicodélico são bandas e projectos antigos ,como recentes.

Adoro a sonoridade de "Cydonia", o estilo de "Paps", o techno trance de "Yumade", a música orgânica de "Process", como "Magus" no seu som muito estranho, adoro "Atmos" pelo som ser muito limpinho e com grandes baixos e viagens.

Tudo o que gosto da música e que me podem ouvir tocar, é uma influência que mantenho desde 2000 ou anterior. E mesmo da altura que começei a tocar 96/97, pois nessa altura fiquei fã de muita música que toco hoje em dia e quando posso.

De goa trance gosto muito de certos temas, mas o que mais me influencia é um trance progressivo com um gosto de techno brincalhão, também me dá na telha e toco coisas mais psicodélicas, é tudo conforme o ambiente.

10 - Qual foi a atuação que mais te marcou?

R: Várias, mas as mais recentes são as que me marcaram: as festas da "EMEL" e o "ZNA GATHERING" para mim têm sido algo que fico sempre a espera de voltar e fazer algo diferente, tenho ficado muito satisfeito com a resposta de muita gente e amigos.

Adoro poder tocar e fazer as pessoas dançar como nunca o fizeram antes.

11 - O que mantém vivo o teu amor pela música electrónica? O que tu mais gostas nas festas/festivais?

R: O dj é o que me mantem vivo pela música electrónica, pois produzir música é um complemento do dj, onde posso usar ideias acontecem nos mixes.

Gosto de ambos de festas e festivais, pelo ambiente q se vive nestas , e claro , pela musica.

Ultimamente , não frequento muito festas nem festivais, mas sempre que tenho hipótese de ir ou ouvir alguém que gosto, vou!

12 - Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Para ser sincero "OZORA", mas isso é um sonho.

13 - Quais são as novidades em relação a novos lançamentos?

R: Depois do ZNA GATHERING tenho mais novidades, só mesmo depois do verão é que penso nisso.

14- Nos últimos anos o psy trance tem vindo a crescer em Portugal o número de festas/festivais e novos artistas aumentam a "cada dia". Na tua visão, está nossa caminhada está no ritmo certo ou existe algo que poderíamos estar a fazer mais pelo crescimento da cena?

R: Sim o Psy Trance cresceu muito nos últimos anos, festivais como o "BOOM Festival"que ganham muitos prémios europeus a nivel ambiental , e, proteção do espaço onde se organiza.

Tens o "Freedom Festival" que é muito bom.

Portugal é muito bem falado lá fora a nivel de algumas festas e festivais que são cá organizados.

Gosto muito da evolução que está ter.

15- Que expectativas tens para esta edição do ZNA GATHERING? E quais são as emoções que tencionas provocar aos ravers na tua atuação?

R: Este ano vai ser MEGA, a própria organização está de parabéns pelo cartaz, vai ser um mimo para todos os gostos.

A minha atuação posso dizer que só quando lá estiver é que sei o que vou fazer.

Ainda por cima é na noite de encerramento, que vai ser como a noite dos Goa Guardians no primeiro dia, mas com um twist vai ser um line up diferente, com alguns artistas que tocam no main floor.

Mas todos nós podemos abrir a mente e viajar no que mais gostamos, dentro dos estilos do trance até ao techno.

Espero ver-vos por lá.

16 - Define a tua música em três palavras.

R: Brincadeira, Viajante, saltar

17- Vamos finalizar com uma mensagem para os teus fãs/seguidores.

R: Mantenham-se alegres e sempre com um sorriso, apoiem os nossos artistas e partilhem a nossa música com os que puderem.

PUBLICIDADE




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *