Amantes do Trance

Um alfacinha de gema chamado Tiago Mira, onde no mundo do Trance é conhecido como Myrah, nasceu em 1983 e aos 15 anos já fazia misturas de Techno com Hip Hop em algumas festas. Quando descobriu o Trance, pouco tempo depois, Mira decidiu direcionar-se para este caminho mais psicadélico musical e logo cresceu uma vontade de criar seus próprios sons. Com uma sede de melhorar cada vez mais suas produções, ele acaba por  frequentar um curso de Técnico de Som em 2005 e, um ano depois, concretiza então seu primeiro live na discoteca Help na Praia da Cabana do Pescador (Costa da Caparica). Nesse mesmo dia tocou juntamente Tryambaka com um live seu e mais dois Djs set, Otiram e Anestetic.

Myrah já trabalhou com várias editoras ao longo da sua carreira por volta do globo, como por exemplo a Psygathering (Bélgica), a Swing Records (EUA), a Namaha Records (India), a Workstation (Austrália), a Maninkari Crew (França), a BioMechanix Rec. (México) e, como é óbvio, cá por Portugal também travou trabalhos com a Happy-Minds, a Hypergate Records, a Psyart Rec. e a Side Wave Rec.

O músico de Lisboa já tocou em imensas festas, mas destaca com algum carinho na sua memória algumas em particular como a Kin & 4 Elements organizada pela Psyart.

"-Muita gente com grande ambiente, grande energia, muita alegria, muitos sorrisos, muita boa disposição, excelente música e com boas condições. Quando ia para uma festa destas, sabia à partida que ia valer a pena e que ia para lá de barriga cheia."

Afirma o próprio recordando das vezes que foi actuar às festas dessa mesma organização.

Outro evento que marcou Mira foi o Freedom Festival 2013, julgando que foi a primeira vez que tocou para tantas pessoas: "- Toquei no sábado de manhã e a pista, que não era nada pequena, estava completamente cheia. Foi uma boa sensação e felizmente que correu tudo bem durante a minha actuação".

Para além destas nacionais, o nosso artista tem uma opinião muito positiva em relação às festas no estrangeiro nas quais passou o seu som. Conta-nos que na Dinamarca, Sérvia, Alemanha, Suécia, Bélgica, Espanha, Irlanda ou Polónia pode-se encontrar um ambiente muitos "roots", familiar e caloroso que faz lembrar os primórdios do movimento psytrance com muito respeito, amor, companheirismo, união, entreajudas e preocupação com o próximo.

Não resistimos e fizemos uma pergunta ingrata ao autor querendo saber que obras suas gostou mais criar. Claro que a resposta não foi fácil pois todas são valorizadas, mas existem 3 das quais tem um significado especial: Into the Future, Dirty Dancing e Virus pois foram as primeiras a serem editadas e que o lançaram mais além, acabando assim por marcar o início da sua carreira "mais a sério".

Para além do estilo Full On matinal de Myrah, Tiago Mira tem um projecto mais dark chamado Orianis e produz também melodias mais chill out, mas todos eles partilham do mesmo objectivo: levar a quem escuta suas composições a um estado de euforia e fazer dançar muito no dance floor todos os amantes do trance. E cá estaremos para saborear suas obras e agradecer pela sua música que tanto nos alegra.

 

10 músicas essenciais de Myrah:

Texto de Rúben Toy
Foto de Desconhecido

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *