ENTREVISTA #88 FUNG FU

1- Antes de mais, há quantos anos és Dj? E sempre no género de psytrance?

R: Esta pergunta é difícil de responder.

Posso dizer que o psytrance foi o ultimo género musical a aparecer na minha ligação á musica...

2- Quando o mundo do psytrance aparece nas nossas vidas, generalizando, arrebata-nos e vai crescendo em nós. Recordas-te de como esta música/mundo chegou à tua vida? E quantos anos tinhas?

R: A ligação á musica no meu caso pode-se dizer que tem uma linha cronológica...

Resumidamente, começou aos 16/17 anos,  em 92/93, com a minha 1a banda em que eu tocava como baterista.
Em 98 chega a minha ligação á musica electrónica quando comecei a frequentar festas techno.

Muito rapidamente o "bichinho" de mixar começou a nascer e impulsionado por amigos que tinham pratos de vinil, não foi difícil ganhar o gosto pela arte de mixar e pelas sensações diferentes que a  electrónica despertava em relação por exemplo ao tocar numa banda, e que é tão especial que perdura até aos dias de hoje, tanto como Dj de psytrance como baterista numa banda de Rock Underground, e que vai perdurar até eu conseguir mexer-me!!!!

Por volta de 2002  quando fui á minha 1a festa de psytrance fiquei fã do movimento, o que na altura era muito diferente, para melhor! Mas eu queria mais, e só mais tarde me consegui entregar "de corpo e alma" quando descobri as sensações, o mistério, o poder da "cena dark" do trance psicadélico, que me levou a sentir cenas que nunca a musica electrónica tinha me dado, isto por volta de 2006/7.

Portanto, já la vão uns anitos....

3- Recordas-te em que festa te estreaste como Dj? Dirias que essa foi a atuação que mais te marcou?

R: Momentos que me marcaram como dj foram aqueles momentos que sentimos que estamos em sintonia com o DF.

Momentos que marcam são também as actuações em que partilho o palco com artistas que são minhas inspirações para os meus sets ou que costumo mixar faixas deles.

4- De contactos como artistas, produtoras, organizadores e outros, existem sempre alguns que tornam importante amigos ou mentores, gostarias de referir alguns?

R: Penso que é bom ter contactos para assim teres mais oportunidades de eventos onde possas partilhar e dar a conhecer o teu trabalho e chegar a quanto mais ouvintes melhor e que gostem do que tu fazes. Nisso é bom!

No meu caso, não tenho "estofo" nem paciência para andar a "mendigar" para tocar, muito menos quando sabes de antemão que não dá para "competir"com esta nova vaga dos djs virtuais, do sync e siga, muitas vezes com mp3 sacados da net, e se for preciso ate pagam para tocar... e tu, que tens um trabalho montado, pensado, que até pagas as faixas que mixas, ou tens uma label que te fornece musica, não podes pedir a uma org. um cachet que aches justo, humildemente merecido porque te dizem não ou simplesmente nem dizem é nada... nem respondem!!!!!!

Infelizmente cá em PT ainda há muito destas orgs...

Felizmente no ano de 2015, ano de sensações extremas a nivel pessoal, tive a sorte de começar a representar exclusivamente a nossa editora Tuga Urban Antídote Records, (UAR) bem conhecida internacionalmente e que neste momento é umas das referencias underground do psytrance, muito graças ao seu mentor e fundador Igor aka Terratech.

É muito gratificante poder ter acesso a musica de qualidade dos artistas de topo que representam a UAR, e poder no meus sets mixar maioritariamente "som da casa" e com uma identidade muito própria que faz vibrar e viajar e que eu convido desde já a conhecerem em: www.urbanantidote.com.

5- Quando estás em palco, quais são as emoções e pensamentos que mais tens presentes?

R: Olha, sinceramente as sensações que tenho num evento de psytrance ou num concerto que toque, são muito parecidas: amor pelo que estou a fazer, vibrar com o que estou a sentir, abstrair-me do que me possa estar a atormentar na rotina do dia-a-dia, viajar e fazer viajar pela musica que estou a partilhar e claro, muito grato por poder ter a oportunidade de tentar fazer sentir estas e possivelmente outras boas sensações a quem me ouve, sempre com muita humildade e respeito ao próximo.

6- Gostarias de colaborar com algum artista em especial?

R: Como DJ que sou, as colaborações passam a "VS" e eu até tenho alguns nomes com quem eu gostaria de fazer um "VS"...

Para dar alguns exemplos seria uma honra poder colaborar com o dj Iguana, ou o dj Giuseppe, ou o dj Amazon, e claro com o meu amigo Xamã Cirkus que nuca tive infelizmente oportunidade de fazer um VS...

Quem sabe um dia...

7- Tens algum próximo passo pensado para o teu projeto? O que se segue?

R: O meu próximo passo e urgente é conseguir reunir todas as condições para gravar uma boa promo para 2019, e assim aliar a qualidade musical com selo da UAR á qualidade sonora. A dificuldade prende-se muito ao facto de eu não ter cdj´s em casa e nem um estúdio onde possa masterizar o trabalho.

Sinceramente este é o passo que preciso dar de seguida e urgente, no que toca ao psytrance e ao projecto Dj FUNG FU.

8- Se pudesses escolher qualquer lugar no mundo para tocar, onde seria?

R: Olha, escolher um lugar no mundo para tocar é difícil, por isso deixo aqui os 3 lugares de sonho para mim...

Sem ordem de preferência, qualquer um deles poderia ser já amanhã:
BOOM Festival, Momento Demento (Modem) na Croácia, e claro, visitar e tocar na Índia e em Goa.

9- Obrigado por te juntares a nós nesta entrevista, queres deixar algumas palavras à comunidade psytrance portuguesa antes de terminarmos?

R: Também vos agradeço a oportunidade de dar a conhecer  FUNG FU á comunidade psytrance .
As palavras que vos deixo são baseadas na minha experiência tanto a nível pessoal como musical: são de incentivo, persistência , humildade e respeito ao próximo.

Concretamente á musica falando, optem sempre pelo género que vos transmita uma mensagem, que vos diga algo, só assim vão conseguir fazer passar a vossa mensagem e fazerem com que os ouvintes vibrem com ela.

Se não sentirem o que estão a fazer , se for só uma questão de dinheiro ou ego, nunca irão retirar da musica tudo de bom e magico que ela nos consegue oferecer.

Desejo muita saúde pois é o principal para que tudo o resto venha por acréscimo.