ENTREVISTA #6 TRANCEFORMATI´OHM

1- Como surgiu a Tranceformati’Ohm? E em que ano foi fundada?

R: A Tranceformati’Ohm foi criada entre 2009 e 2010, começando com pequenas reuniões ao ar livre entre amigos e conhecidos, e onde fomos desenvolvendo um amor único pelo nosso movimento, que nos guia e motiva em todos os eventos que realizamos! É sem dúvida a nossa base!
Dia 17 de Setembro de 2011 realizamos a TRANCEFORMATIOHM BIRTHDAY PARTY em Barcelos, no Neiva Park, nossa primeira open air e ao mesmo tempo comemoramos o nosso primeiro aniversário, um evento que ficará para sempre na memória. No ano seguinte comemoramos novamente esta data na praia fluvial de Verim mas desta vez em formato de festival e logo no ano seguinte decidimos dar um nome mais especial a BIRTHDAY PARTY e chamar-lhe assim a nossa mítica SPECIAL COSMIC CHANGE que se realiza até aos dias de hoje, uma vez por ano e este ano contamos com a 4 edição!

2- Quem são os seus principais membros da organização e quais os seus papeis?

R: O principal membro chama-se Andre Mesquita Coelho, que é o responsável pela existência e evolução da Tranceformati’Ohm, onde conta com a ajuda de sua familia, namorada e amigos.

3- Quais são os pontos chave que não devem ser deixados de lado na realização de um evento?

R: Para nós o ponto chave é ter todas as condições para que o evento decorra da melhor maneira, começando por licenças, seguranças, muitos caixotes de lixo, bons artistas, bom sistema de som, boa decor e muita boa disposição.

4- Como é visto para vocês a realização de cada evento? É um gasto ou um investimento?

R: É de certeza um bom investimento e uma grande entrega.

5- Quais são os maiores desafios para organizar um evento com a envergadura da Special Cosmic Change Qual o foco principal?

R: O maior desafio é não mover um numero enorme de gente, e sim conseguir reunir pessoas que realmente gostam e tratam do nosso movimento e da nossa Mãe natureza. E sim de Cosmic para Cosmic a familia está a crescer e mantendo a essência que para nós é o mais importante.

6- Quais as características mais importantes para um organizador de eventos?

R: Ter noção da realidade, de responsabilidade e ter consciência do que é um evento e todos os riscos que engloba o mesmo e o mais importante é saber se pôr no lugar do publico.

7- Comparando com as primeiras festas organizadas pela Tranceformati’Ohm, é provável que muita coisa tenha mudado. Mas ainda há alguma coisa que continue igual? Como descrevem a vossa evolução?

R: Sim muitas coisas mudaram mas a essência e a razão que nos move continua a ser a mesma, pois se isso tivesse que mudar já não existiria TranceformatiOhm.

8- Em termos de estrutura, qual patamar vocês almejam chegar? O que vocês sonham ter nos vossos eventos num futuro próximo?

R: Para ser o mais sincero possível, já estou no patamar que queria, não tenciono fazer nenhum festival, pois podemos reparar que já existe festivais ao pontapé todo o ano tanto em Portugal como lá fora, mas sim continuar a fazer a minha reunião anual, estou a falar claro da “ SPECIAL COSMIC CHANGE “ que é como se fosse o ritual da nossa organização, tirando todas as nossas indoor’s, esta é a nossa meta, é a viagem que aguardamos o ano todo! Não sei explicar, não é por ser a minha festa mas cria-se uma vibe diferente, pura, faz-me lembrar os inícios do trance, onde tudo era feito com dedicação a pensar no publico e não no dinheiro que se pode ganhar!

9- Como funciona o processo de selecção de Artistas internacionais e nacionais?

R: Eu nunca fui de modas, sempre fui pelo que acho que é bom e têm qualidade! Procuro em todas as reuniões criar uma viagem onde todos os estilos relacionados com o psytrance estejam presentes, e não me foco só num estilo, foco-me sim nas pessoas e em garantir que em algum momento da festa elas se sintam integradas e sintam que estão a fazer parte da nossa viagem! Claro que queremos sempre trazer os melhores dos melhores e graças ao universo ja trouxemos grandes nomes, mas o essencial mesmo é dar a conhecer o artista e o seu talento pois se o contratamos é porque na nossa perspectiva o seu trabalho é muito bom, e merece fazer parte das nossas reuniões !

10- Os eventos organizados por vocês certamente causa algum impacto no local onde é realizado e por isso é essencial que se preocupem com causas ambientais. Como é que vocês cuidam desse aspecto?

R: Para nós o mais importante, no antes, no decorrer e após o evento é sem duvida o lixo! A nossa organização nesse aspecto esteve sempre de parabéns, temos sempre eco teams a trabalhar nas nossas festas, fazemos ao longo de todo o ano caixotes do lixo maiores que os habituais e em maior quantidade! Colocamos cinzeiros também no dancefloor e limpamos o terreno antes da festa para quem goste de bailar de pés descalços possa faze-lo sem qualquer perigo! Podemos dizer com orgulho que já mais que uma vez as eco-teams no decorrer da festa vieram ter com a organização a dizer que não existe lixo para limpar, o que só acentua a nossa ideia de que as nossas reuniões realmente são diferentes e tudo graças ao nosso publico, eles também estão de parabéns, em todos estes anos, mostram que realmente são os verdadeiros, e não podíamos ter maior orgulho neles!

11- Que balanço fazem do panorama actual do trance nacional? O que acham que poderia mudar (no sentido de melhorar o trance em Portugal) ?

R: O que acho e vejo é muita gente a criticar o que realmente está mal, mas porque vão la parar? Vejo também que existe boas festas em Portugal. Não são aquelas que levam multidões, mas sim as que arrastam e movem boas energias.
Isso é um problema já de raíz.
Sempre ouvi falar.. ‘’Fazes bem atrais o bem’’ e cada vez mais vejo que a maioria está no lugar errado, na cultura errada. Mas no fundo ainda bem que assim é, pois havendo essas tais festas de raizes podres faz com que esse tal publico não se direcione para onde a boa energia paira no ar e o PLUR é comprido 99% a risca, pois nada é perfeito. Única coisa que tem de mudar é o respeito pelo movimento e pelo proximo, consumir drogas sim, mas ninguém precisa de ver, nem de saber, muitas mentes ainda têm de se abrir!
Mas tudo a seu tempo, pois tem de haver o equilíbrio e nada é por acaso! O que interessa é cada um deixar a sua marca positiva em cada reunião e chão sagrado que é pisado.

12- Para finalizar deixem uma mensagem para o público.

R: 6 anos a trabalhar para vocês, foram os melhores anos da nossa vida, toda a razão da nossa existência! Choramos de dor, de felicidade, de desespero, mas vocês fazem todo esforço e dedicação valer muito a pena. Nem é com o que os nossos olhos vêm, mas sim com o que conseguimos sentir depois de sair de cada reunião nossa feita por nós para vocês. Lembrem-se sempre, não tenham vergonha de chamar alguém a razão ou corrigir alguém que fez algo mal para a nossa reunião, como o atirar lixo para o chão, uma das coisas principais com que faz o ambiente estar lindo e harmonioso. LIXO É NEGATIVO!! Por isso não deitem para o no nosso solo sagrado <3 A Cosmic está a porta e vamos todos (Organização, STAFF e Publico) mostrar mais uma vez que este movimento é maravilho. 🙂
Respeito o proximo para seres respeitado familia, vemo-nos dia 10 na SPECIAL COSMIC CHANGE 4ª Edição!!!
SOMOS TODOS UM SÓ SOMOS TRANCEFORMATI’OHM <3 <3

PUBLICIDADE